Conheça mais de 200 Praias Acessíveis

Em Fevereiro, escrevemos um artigo sobre o levantamento e ranking das praias mais bem preparadas para receber pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida no Litoral Paulista. Se você não se lembra ou não leu, confira nosso post clicando neste link.

Desta vez, trouxemos novidades vindas além do Atlântico, “lá da terrinha” onde vive a amistosa e querida nação portuguesa. O Programa Praia Acessível – Praia para Todos, uma iniciativa de vários órgãos públicos municipais e estaduais portugueses, completou no ano passado 12 anos de existência e realizou nova avaliação das suas praias. Nesta última edição, o Programa premiou 209 praias, que receberam um certificado de acessibilidade.

Assim como a versão paulista, o formulário de avaliação levou em conta uma série de itens para finalmente determinar se as praias eram ou não acessíveis. A bateria de requisitos obrigatórios que determinaram se a praia era ou não “acessível” foi composta pelos seguintes fatores:

  1. Acesso ao pedestre: fácil e livre de obstáculos, a partir da via pública até uma entrada acessível da praia;
  2. Estacionamento Exclusivo: existência de vagas reservadas para embarque e desembarque de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, o mais próximo possível do acesso à praia;
  3. Rotas acessíveis: percursos totalmente livre de obstáculos e de interrupções na área da areia, que inclua faixas de pedestre e percursos devidamente pavimentados, firmes e contínuos. Existindo desníveis, os degraus têm que ser complementados por rampas suaves e/ou meios mecânicos acessíveis (ex: plataformas).
  4. Infra-estrutura de apoio: existência de área e recursos destinados a banhos de sol (chapéus de sol, toldos, barracas) e o mais próximo possível do mar; sanitários adaptados; posto de primeiros socorros acessível; guarda-vidas;
  5. Acessibilidade nas informações ao público: na entrada da praia e nas páginas do website da prefeitura, informando sobre as condições de acessibilidade e os serviços de apoio disponíveis às pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida.

Durante o levantamento de 2016, observaram-se alguns exemplos de boas práticas que, embora não sendo de cumprimento obrigatório, melhoram inquestionavelmente as condições de usufruto das praias. São eles:

  • Equipamentos anfíbios para o banho e/ou o passeio na praia
  • Espaço coberto para descanso e/ou leitura
  • Vestiários, duchas, bebedouros e lava-pés acessíveis
  • Bares, restaurantes e lojas com arquitetura acessível
  • Atividades lúdicas e inclusivas

Ficou interessado(a) em saber quais praias fazem parte do Programa Praia Acessível? Então clique no link a seguir e conheça todas os 209 nomes e suas localizações: PRAIAS ACESSÍVEIS. Abaixo, fotos de algumas das praias e de suas estruturas.

Rampa de 3 segmentos, feita em madeira. Ao fundo, mar e céu azul.
Praia de Vilamoura, em Loulé, Portugal
Duas cadeiras anfíbias na areia e uma trilha em madeira indo até o mar
Praia de Valadares Sul, em Vila Nova de Gaia,Portugal
Banheiro adaptado sobre a areia, com acesso por intermédio de um deck de madeira com corrimão
Praia da Luz, em Lagos, Portugal
Trajeto em concreto liso e retilíneo da areia da praia até o mar. À direita, uma tenda de madeira com duas cadeiras anfíbias.
Praia da Conceição, em Cascais, Portugal
Deck de madeira em formato de letra T invertida, sobre areia. Ao fundo, um guarda-sol de palha, uma espreguiçadeira e o mar azul.
Praia da Comporta, em Grândola, Portugal
Vista aérea dos jardins, da rampa e do canal à esquerda. Ao fundo, um pequeno chafariz.
Praia da Pampilhosa da Serra, em Pampilhosa da Serra, Portugal

 

 

Fonte: Instituto Nacional para Reabilitação, Portugal

Você também pode gostar: